Neste blog serão registrados os bastidores e apresentações da ópera Turandot,
montagem lírica do Palácio das Artes (BH/MG) em junho de 2004.

Participam o diretor Fernando Bicudo, o maestro Marcelo Ramos,
o diretor artístico Sílvio Viegas e os jornalistas do site do PA,
Carlos d´Andréa e Valéria Mendes.

Hotsite da Ópera: www.palaciodasartes.com.br/turandot



Letícia Tertuliano foi uma das ganhadoras do sorteio promovido pelo hot site da ópera Turandot. Veja o que ela achou da montagem:

"Sem dúvida alguma, um espetáculo magnífico! Cores, música, cenários e interpretação misturados de forma a proporcionar o maior dos ensinamentos que esse espetáculo nos deixa ao final: o amor é poderoso, se transforma, se doa, renuncia e sempre vence.

Amor esse que transcende a obra “Turandot”. Impresso nas linhas escritas por Puccini, se irradia através da batuta de Marcelo Ramos (que regeu de forma talentosa a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais), e, em conjunto com a cenografia delicada e ao mesmo tempo austera de Pequim, cria uma atmosfera de sonho e fantasia, nos inebriando com a história da “Princesa de Gelo” e o “Estrangeiro de nome desconhecido”.

O amor está presente em cada detalhe do espetáculo. Cada fala, cada gesto, cada botão do vestido de Turandot (bem como todos os outros botões de todas as outras roupas. Sem dúvida as roupas utilizadas no espetáculo causam um impacto à parte).  O carinho com que esse projeto foi realizado fica latente
na produção do espetáculo.

Uma ópera grandiosa (e, com certeza, trabalhosa)! Grandiosidade que começa logo no primeiro ato, com o povo de Pequim nas ruas, sofrido, porém ostentando seu amor incondicional a sua princesa. Destaque todo especial
para as interpretações de Stephen Bronk (Timur) e Elizeth Gomes (Liù).

O ponto alto do espetáculo fica por conta de Richard Bauer (Calaf). Richard conseguiu dar uma veracidade incrível aos sentimentos de esperança, sofrimento e amor, transmitidos para a platéia de forma singela, porém
eficaz. “Nessum dorma” é cantada de forma emocionante no terceiro ato do espetáculo.

O amor permeia toda a história: amor de pai, amor secreto, amor sofrido, amor pela mulher desejada ... Mas, muito mais do que o amor da história de Puccini, o que vale é o amor das pessoas envolvidas neste espetáculo pelo trabalho. Para essas pessoas, tenho certeza, fica o sentimento de dever cumprido. E, de nossa parte, os nossos parabéns! Para o público, o gostinho de quero mais e a sensação de que trabalhos dessa natureza devem ser incentivados cada vez mais no cenário cultural de Belo Horizonte. O povo clama por arte e, acima de tudo, trabalhos em que o comprometimento pela qualidade é o ponto principal. Seu nome é AMOR !!"



 Escrito por Váléria Mendes às 15h40
[   ]




Com um comentário onde não faltam adjetivos (e por isso mesmo original ...), Thiago Nascimento Rodrigues foi ganhador do CD de Janette Dornellas.
O que ele escreveu? Veja no post abaixo!



 Escrito por Carlos d´Andréa às 12h30
[   ]





A última récita da ópera Turandot contou com a presença do Governador de Minas Gerais, Sr. Aécio Neves, na platéia do Grande Teatro do Palácio das Artes.

Na foto acima, a soprano mineira Patrizia Morandini, no papel de Turandot, é cumprimentada pelo governador ao final do espetáculo.



 Escrito por Váléria Mendes às 15h07
[   ]




Atenção para a última promoção do hot site Turandot: deixe abaixo seu comentário sobre a ópera e concorra a um CD da soprano Janette Dornellas. Gravado em Brasília (DF) e no Teatro Municipal de SP, o disco traz trechos de óperas de Bizet e Verdi, canções do compositor nortista Waldemar Henrique e standarts norte-americanos, entre outros. O melhor comentário será destacado nesta quinta, às 12h. Participe!

 

 



 Escrito por Carlos d´Andréa às 10h09
[   ]




Sexta-feira, dia 25 de junho, esgotaram-se os ingressos para as últimas récitas de Turandot. Terça-feira, dia 29, encerra a temporada da ópera no Grande Teatro do Palácio das Artes. Na récita de domingo, Leila Guimarães (Turandot), Marcello Vanucci (Calaf), Laura de Souza (Liú), Ramiro Souza e Silva (Mandarim) e o elenco fixo de solistas foram recebidos com casa cheia.



 Escrito por Váléria Mendes às 13h46
[   ]




O maestro Marcelo Ramos citou no post abaixo a repercussão nacional da montagem de Turandot.
Separamos os links de algumas das críticas publicadas em sites especializados e jornais:

Site Movimento.com:
- Turandot de Puccini no Palácio das Artes - Quando a opção é pela tradição e bom gosto (sobre a récita de estréia - 1º elenco)
- Uma TURANDOT de carne e osso... e sangue forte! - (sobre a récita de domingo, 20/06)

Folha de S. Paulo:
- Peça mineira decifra enigma de "Turandot" (sobre a récita de estréia)

Foram publicadas críticas também nos jornais Estado de Minas e O Estado de S. Paulo, mas elas estão disponíveis na web apenas para assinantes :( ...



 Escrito por Carlos d´Andréa às 12h32
[   ]




A repercussão nacional de nossa Turandot foi além de nossas expectativas. Comentários do tipo – a melhor montagem operística dos últimos 30 anos, um espetáculo internacional, a inclusão definitiva de Minas Gerais no circuito oficial de ópera no Brasil – foram ouvidos de pessoas altamente qualificadas e com experiência em outras montagens pelo país afora.

As críticas dos veículos nacionais foram as melhores possíveis, principalmente no que diz respeito á Orquestra Sinfônica de MG e minha atuação como diretor musical do espetáculo.

Para aqueles que ainda não assistiram, aqui vai meu conselho: - Venham assistir antes que os últimos ingressos se esgotem!!!



 Escrito por Marcelo Ramos às 15h29
[   ]




Ontem, dia 23 de junho, foi a estréia da soprano Patrizia Morandini no papel-título da ópera Turandot. A cantora volta ao palco do Grande Teatro no dia 29, terça-feira, na última récita da ópera.


Liú (Elizeth Gomes) e Turandot (Patrizia Morandini).
Ao fundo, da esq. p/ dir., Homero Velho, Robert
Blake e Marcos Liesenberg.

Esta é a cena em que Turandot maltrata Liú para descobrir o nome do príncipe desconhecido. A escrava nada revela e deixa a princesa Turandot instigada em saber de onde Liú tira forças para resistir à tortura e não revelar o nome de Calaf. E é nesse momento que a “princesa de gelo” descobre o amor incondicional de Liú pelo príncipe.

 

As récitas do dia 25 (sexta-feira) e 27 (domingo) têm no elenco Leila Guimarães (Turandot), Marcelo Vanucci (Calaf) e Laura de Souza (Liú).

 

Sábado, dia 26 de junho, Turandot é Janette Dornellas, que canta acompanhada de Richard Bauer (Calaf) e Elizeth Gomes (Liú).

 



 Escrito por Váléria Mendes às 13h37
[   ]




O Coral Lírico Palácio das Artes, reforçado por 30 coristas contratados, interpreta em Turandot o povo de Pequim. Acostumados ao fúnebre espetáculo oferecido pela princesa quando desafiada por príncipes, os súditos inicialmente consideram Calaf mais uma vítima, mas torcem pelo estrangeiro quando ele prova sua coragem e amor à princesa.

Para retratar o povo sofrido e amargurado, no figurino do Coral foram utilizados tecidos sóbrios nas cores cinza, preto e bege, contrapondo com os trajes majestosos do império, que utilizam cetim, seda e bordados coloridos.

.



 Escrito por Carlos d´Andréa às 17h36
[   ]




O cenário do Segundo Ato de Turandot impressiona por sua magnitude e composição cênica, incluindo a iluminação. Na foto abaixo, Turandot (Janette Dornellas), observada pela corte e súditos,  propõe os enigmas a Calaf (Richard Bauer). Ambos foram os solistas da récita deste domingo, dia 20.

 



 Escrito por Carlos d´Andréa às 16h53
[   ]





Calaf (Marcelo Vanucci) e Turandot (Leila Guimarães)

Sábado, dia 19 de junho, foi a estréia da ópera Turandot no Grande Teatro do Palácio das Artes. Elenco, direção e equipe técnica foram recebidos com casa cheia.

Na foto acima, já no Terceiro Ato, a princesa Turandot se rende ao amor de Calaf e se declara dizendo ter sentido, desde o primeiro momento que o viu, a luz dos heróis que havia em seus olhos.

Turandot continua em cartaz até o dia 29 de junho, terça-feira.



 Escrito por Váléria Mendes às 13h44
[   ]




Ontem, quinta-feira, dia 17, aconteceu no palco do Grande Teatro o último ensaio geral antes da estréia da ópera Turandot (sábado, dia 19). No elenco, estavam Janette Dornellas no papel-título, Richard Bauer como Calaf e a personagem Liú foi interpretada por Elizeth Gomes.

 

Esta é a cena do grande final da ópera. Após Calaf desvendar os três enigmas propostos por Turandot e desafiá-la a descobrir seu nome, o casal termina sua história de amor com um final feliz.

 



 Escrito por Váléria Mendes às 14h45
[   ]




Na foto acima, a princesa Turandot (Patrizia Monrandini),
em cima de um palco giratório, 
propõe os três enigmas ao "estrangeiro" Calaf.

Esta é uma das três roupas usadas pela princesa ao longo da ópera.
O figurinos de Turandot, por sinal, são uma atração à parte - diferentes materiais foram usados na confecção, entre eles sedas importadas da China e Itália, a famosa seda francesa charmause, brocados, fitas de diversas cores, fazendas especiais, acetatos moldados para chapéus, tecidos como brim e oxford, rendas.

As pomposas roupas e ricos adereços foram confeccionados
seguindo as características da dinastia chinesa Tang (dos séculos VII a X),
escolhida como referência em razão do alto valor estético dado à arte neste período.



 Escrito por Carlos d´Andréa às 11h17
[   ]




 


Em uma das cenas mais emocionantes de Turandot, Timur (interpretado por Stephen Bronk) chora a morte da escrava Liú (Elizeth Gomes). Apaixonada pelo príncipe Calaf (Richard Bauer, em pé sozinho), ela recusa-se a revelar o segredo que o levaria à morte e suicida-se.
Na foto, a cena é observada pelos três ministros do Império Chinês, Pang (Marcos Liesenberg), Pong (Robert Blake) e Ping (Homero Velho).
Conheça melhor o terceiro ato de Turandot na seção A Ópera do hot site.



 Escrito por Carlos d´Andréa às 15h37
[   ]




Ontem, terça-feira, dia 15 de junho, o musicólogo e professor Marcus Góes participou de bate-papo sobre a última ópera do compositor italiano Puccini, Turandot. O encontro foi no Belo Horizonte Othon Palace e contou a  presença de Fernando Bicudo, Juarez Cabello, Antonio Gaspar, Leila Guimarães e Laura de Souza. Confira foto:

 


Marcus Góes

 

Segundo Góes, Turandot marca o encerramento do ciclo mais popular da história da ópera. Iniciado em 1816 com O Barbeiro de Sevilha, de Rossini, foram 110 anos de produções operísticas de sucesso popular, encerrado em 1926 com a estréia de Turandot no Teatro Alla Scala, de Milão.

 

No Palácio das Artes, Turandot estréia neste sábado, dia 19 de junho. São oito récitas que acontecem às terças, quartas, sextas e sábados, às 20h30 e aos domingos, às 18h. 

 

 



 Escrito por Váléria Mendes às 14h07
[   ]